Visualizações

sexta-feira, 8 de julho de 2016

Máscaras



Diferente de quando éramos criança
mostrar a cara limpa hoje não é fácil.
Não temos mais a mesma coragem
nem o olhar grácil e incontestável.
O que temos são sentimentos se degradando...
Mudou tanto a textura do nosso rosto!
Os córregos de ternura secaram
A pele perdeu o viço.
Abandonamos a inocência!
Demasiadamente distante de quem gostaríamos de ser,
não suportamos o peso do julgamento.
Laranjas apodrecidas ninguém quer colher.
Joana Tiemann

terça-feira, 14 de junho de 2016

Eu sou como a borboleta


Eu queria ouvir Benito 
porque eu precisava olhar o mundo de longe 
e ter a certeza da existência do infinito.

E de repente me vi borboleta voando alto
e tudo em volta foi ficando mais bonito.
Por tudo que há de mais sagrado
acredite
eu senti o perfume da eternidade.
Meu olhar pedinte e acanhado
despertou a curiosidade divina.
Com felicidade eufórica
conheci o segundo pôr do sol
Entendi que o fim nunca termina;
tudo o que vem do coração
ali germina...


Ah, como eu queria
que você estivesse do meu lado
nesse momento de simplicidade e requinte
para atravessarmos o tempo
e juntos termos a compreensão:
Há sempre um despertar no nascer do sol do dia seguinte.

Joana Tiemann


segunda-feira, 30 de maio de 2016

COLIBRI




Ah, colibri!
se não fosse a tua mania de sair por aí
beijando flor em flor
eu escreveria poesia só pra ti.
Com a voz doce e macia 
recitaria os mais lindos versos de amor.
Pintaria minha boca de vermelho carmim,
a cor que você mais aprecia.
E antes do sol se pôr,
te esperaria no jardim
disposta a te provar 
que é de mim que você gosta...

E se ainda assim
você quisesse voar
 pra longe de mim,
ficaria a certeza
de que a sua natureza
é ser livre.

Joana Tiemann

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

LEMBRANÇAS





Estou aqui
Relembrando nossos momentos
A areia, o mar, o sol, o vento...


Fecho os meus olhos e vejo o brilho do teu olhar
Sinto tuas mãos tocando meu rosto
Ouço música no ar.


Ah, como é bom que esse sentimento te traga de novo pra perto de mim!

Agora, nós dois juntos viajamos nas ondas sonoras da paixão.
Voltamo-nos aos movimentos, ao gosto, ao ritmo da canção que nos leva a dançar sobre as nuvens.

Extasiados, revivemos a poesia de um amor de verão.
Entrelaçadas, nossas mãos se despedem.
Você embarca no trem da saudade
Meus pés seguem
para outra direção.

Joana Tiemann