Visualizações

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Canção da vida

Estendendo-me os braços, a vida.
Ouço sua voz: querida, siga por aqui!
Olho-a com olhar lasso
De quem se rendeu ao cansaço.

Não pense que é fácil
Viver em um mundo movido pela ganância.

De vez em quando
Coloco rodelas de esperança sobre meus olhos. Refaço-me

Tão grácil este meu coração!
Bate no compasso da emoção.

Ouço sua voz: querida, siga por aqui!
Vá por esta estrada repleta de abraços e creia no bem.

Descruzo os braços... Vou!
Você também?

Joana tiemann

sábado, 2 de agosto de 2014

Terra invernal


Tenho andado sob réstias de luz por onde fulgura a irmandade.
A busca incessante de mãos que gesticulam ternura, não é utopia.
Eu sei que é ela que salvará a humanidade.

A estrada é longa
E por toda parte vejo impiedosos articulando massacres.
Lágrimas de desafeto e sorrisos arquitetados.
O amor sendo blasfemado.
A lei maior tratada com descaso sem que haja punição.

Meu lamento não me priva de sorrisos
O que me adoece também me cura
A certeza do encontro de mãos puras intensifica meu ânimo
Minha missão neste mundo vil é espiritual.

Descalços, meus pés caminham sobre esta terra invernal.
Desejosa do calor de olhares ternos
Minha alma segue.

Joana Tiemann