Visualizações

terça-feira, 1 de abril de 2014

Pelos deuses da poesia

Escrevia um poema
Nas ruas da cidade
E antes que eu concluísse
Ele se perdeu de mim
Desde então,
Ando numa procura sem fim.

Por favor!
Se alguém o viu,
Pelos deuses da poesia,
Devolva-me!
Ele pode estar com fome
Ou então passando dias de pavor.

Delicado como uma criança,
Não é difícil percebê-lo
Tenho certeza, nas tuas andanças, já deve ter passado por ele.
Se você prestar mais atenção em tudo que te cerca
Estou certa,
Que mesmo que ele não seja encontrado.
Ouvirei você dizendo: Muito obrigado!

(JOANA TIEMANN)

3 comentários:

  1. Há algo de especial num poema dedicado a um poema. Ah, um poema perdido! 'Perdeste' um poema delicado. Uma leve diferença nos separa: os poemas me perderam, que não me acham. Sou eu, digo-te, este que, nunca o tendo encontrado, ainda posso dizer-te mil vezes obrigado. Beijossssss

    ResponderExcluir
  2. Simplesmente doce!

    Parabéns...
    Espero deparar-me com ele, para assim adocicar ainda mais meus dias...

    Beijo grande

    ResponderExcluir
  3. O poema não capturado Joana, está substanciado na natureza, ficou em forma bruta (bruta?), latente, esperando outro poeta para escorrer e se liquefazer num rascunho, na pagina imaculada.

    ResponderExcluir