Visualizações

terça-feira, 23 de setembro de 2014

É primavera!

Na manhã azul
Tudo é silêncio e espera
Cores buscam harmonia
Beija-flores padecem de nostalgia
Um pingo de luz brota no quintal
O essencial nasce
O tempo floresce
O vento anuncia:
É primavera
Que rufem os tambores!
Agora
Já posso dançar
Sentindo o perfume das flores.
Joana Tiemann

sábado, 20 de setembro de 2014

Cartas na mesa

Cada qual no seu tempo.
Exporemos os sentimentos que nutrimos
Teremos que colocar as cartas na mesa
Mostrar o jogo:

Eu poderia estar trancada no meu quarto, cultivando solidão
Poderia estar entediada, buscando razões para viver
Poderia ter um coração farto de lutas e ilusões
Poderia tecer reclamações sem medida: da vida, do mundo
Poderia viver cada segundo como vítima das situações
Poderia dizer que minha capacidade de amar já se esgotou

No entanto, aqui estou.
Tentando fazer você acreditar
Aqui estou
Escrevendo versos
Soltando palavras e rimas pelo universo
Colocando poesia e encanto nos dias ensolarados e nos nem tanto
Eu poderia ser não ou talvez
Mas decidi viver um dia de cada vez
E digo sim para as coisas simples e cotidianas:
Uma declaração de amor, o momento singular do desabrochar da flor, a paz ao tocar alma humana.

Sentimentalista insana
Sonhadora, sim!
Em mim,
Uma primavera a eclodir
Se eu vim nesse mundo
Foi para florir.

Joana Tiemann

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Canção da vida

Estendendo-me os braços, a vida.
Ouço sua voz: querida, siga por aqui!
Olho-a com olhar lasso
De quem se rendeu ao cansaço.

Não pense que é fácil
Viver em um mundo movido pela ganância.

De vez em quando
Coloco rodelas de esperança sobre meus olhos. Refaço-me

Tão grácil este meu coração!
Bate no compasso da emoção.

Ouço sua voz: querida, siga por aqui!
Vá por esta estrada repleta de abraços e creia no bem.

Descruzo os braços... Vou!
Você também?

Joana tiemann

sábado, 2 de agosto de 2014

Terra invernal


Tenho andado sob réstias de luz por onde fulgura a irmandade.
A busca incessante de mãos que gesticulam ternura, não é utopia.
Eu sei que é ela que salvará a humanidade.

A estrada é longa
E por toda parte vejo impiedosos articulando massacres.
Lágrimas de desafeto e sorrisos arquitetados.
O amor sendo blasfemado.
A lei maior tratada com descaso sem que haja punição.

Meu lamento não me priva de sorrisos
O que me adoece também me cura
A certeza do encontro de mãos puras intensifica meu ânimo
Minha missão neste mundo vil é espiritual.

Descalços, meus pés caminham sobre esta terra invernal.
Desejosa do calor de olhares ternos
Minha alma segue.

Joana Tiemann

sábado, 19 de julho de 2014

Amigos são flores



Vou colhendo flores pelo caminho
De diferentes aromas e cores
Flores que fazem-me sorrir
Deixo fluir!
A cada novo dia
O sol traz luz
E conduz a eternidade que se espera
Sorrateiro e cruel, o vento
Sonolento
Disfarçado de brisa
Rouba um pouco do perfume delas.
Algumas perdem suas pétalas
No decorrer da vida
Despedida
Insípidas e incolor, secam
Eis que cumpre-se o destino:
Flores secas
Simbolizam lembrança
Perfeita missão
Guardo-as entre páginas
Histórias mágicas
No meu coração.

Joana Tiemann

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Caminho do sol

Eu sei que o amor universal permeia caminhos
E sua fragrância ressuscita almas inconscientes.
A mãe natureza é generosa
E jamais esquece seus filhos
A Escolha foi feita 
Antes mesmo que a primeira criatura habitasse esta terra.

O perfume do princípio vital
Impulsiona minha esperança
Ainda que caminhemos por estradas cravejadas de diamantes
Havemos de entender que existe apenas uma direção para o ser:
Ser inteiro!

Acontece um chamamento de paz dentro de nós
Porém a vida superficial não nos permite ouvi-lo
Só a maturidade espiritual
Fará com que ouvidos se abram
Consentindo passagem à delicada cantiga do amor verdadeiro

Entre as idas e vindas à eternidade
Que amadureçamos nosso amor imaturo.

Há música e poesia no caminho que nos leva para o futuro!

Joana Tiemann

domingo, 22 de junho de 2014

Meu eu interior

Não queira se colocar no meu lugar
Você não entenderia a engenharia da minha construção
Ela é feita de silêncios e solidão
De entardeceres de outono
De momentos de ilusão.

O meu relógio é o vento
Meu pensamento voa sem direção.
Minhas mãos encontram poesia onde não há.

A canção que me acompanha nesta jornada
É ritmada pelas batidas do meu coração.
Nos jardins da minha emoção
Sentimentos estão em constante metamorfose.

Não queira se colocar no meu lugar
Você jamais entenderia a alquimia
Dessa força que me move.

Joana Tiemann

segunda-feira, 16 de junho de 2014

O meu amor

O meu amor não conhece todo o abecedário
Existem palavras que ele não aprendeu a pronunciar
O meu amor não é otário
Ele sabe muito bem por onde caminhar.

O meu amor gosta de amparo
Gesto de quem aprendeu a amar
O meu amor é raro
Pérola no fundo do mar.

O meu amor gosta de felicidade
A reciprocidade do toma lá dá cá
O meu amor é leve
Breve para quem não souber elevar.

O meu amor é assim
Um pouco de tudo
Um tudo no nada
Clarão do sol em plena madrugada.

O meu amor é um bem querer sem fim
Um 
talvez em você
Uma certeza em mim.

(JOANA TIEMANN)

segunda-feira, 9 de junho de 2014

Sentimentos virginais

Muita calma nessa hora,
Diz meu sensato coração,
Há entendimento nos meus sentimentos.
Porém, para um viajor de encantamentos imediatistas,
Alguns parecem não fazer sentido.

Tapo meus ouvidos para qualquer filosofia vã
Creio que sentimentos virginais
São apenas versos coloridos do amanhã.

Joana Tiemann

terça-feira, 27 de maio de 2014

Ritual do poeta

Ah, bendito delírio dos poetas!
Esse jeito de ver o mundo,
Que inquieta a humanidade.

Acordar com o sol batendo no rosto,
Aspirar pó(esia)
É ritual desses alucinados.

Há dias 
Que sonhos alados desenham o infinito no céu azul
Em outros
Nuvens viajam ao léu
Espalhando gotas de alegria.

Um sorriso no canto da boca
Parece não ter encanto
No entanto
Para quem vive de inspiração
É conspiração do universo.

Cuidado com o que falas
Perto de um poeta
Tudo poderá ser revertido em versos.

(JOANA TIEMANN)


domingo, 18 de maio de 2014

A linguagem das flores

Quando todos aprenderem a falar a língua das flores
O mundo terá um aroma diferente.
Reconheceremos uns aos outros pelo cheiro.
Não haverá jarros com margaridas
Nem sepulturas cobertas de crisântemos
Cada vida, uma gota num oceano de cores.

Teremos por costume

Nomes como Cravo e Flor de laranjeira.
Palavras ternas,
Simplesmente brotarão dos lábios.
As mãos terão o perfume do carinho
Os pés trilharão o caminho da paz
Braços serão fontes de calor.

E quem não mergulhar fundo nesse mundo
Nunca saberá que a nossa essência é o amor.


(JOANA TIEMANN)

segunda-feira, 12 de maio de 2014

Lua encantada

Era amarela
a lua que enfeitava aquela noite
Amarela de vários tons
e de uma beleza singular
Da janela
olhávamos para ela, atônitos!

Sinônimo de amar,
Enfeitiçou as estrelas e nosso olhar.

Agora,
todas as noites,
por esquecimento ou talvez cautela,
no meu céu,
amarela como aquela,
nunca mais.

(JOANA TIEMANN)

quinta-feira, 8 de maio de 2014

Mãe do mundo

É maio
A(mãe)nheço
e todos os ventos sopram canções de ninar.

Junto à janela
Majestosa e bela,
A mulher amamenta seu filho.

Em frente ao fogão
Ela cozinha amor em pequenas porções
Dia a dia
Carinho e dedicação.

Na sala de estar
Ela vê o filho ensaiar os primeiros passos.
Zelosa!
Tanta emoção contida no seu abraço.

No quarto
Ela embala o bebê
Ela cobre de carinho seu filho adolescente
Ela perde o sono
Ela sente abandono
Ela chora
Ela ri

É maio
Amanheço
Filha
Mãe
Majestosa
Bela
À espera
De um mundo mais mãe.

(JOANA TIEMANN)

segunda-feira, 5 de maio de 2014

Em algum olhar perdido tem alguém querendo te encontrar

Ninguém sabe a importância que tem
na vida de alguém
Sem, repetidas vezes, ouvir isso.

Há verdades que você não sabe e precisa saber:
Sua ausência está sendo sentida
na solidão que consome.
Suas feições tomam forma
quando alguém fala seu nome
No pensamento, a todo o momento
você está.
Vivências estão sendo guardadas
para toda a eternidade.
Protagonista de sonhos
Alavanca para torná-los realidade.

Quantas vezes na vida você vai ter que escutar
Que em algum olhar perdido tem alguém querendo te encontrar?

(JOANA TIEMANN)


quarta-feira, 23 de abril de 2014

A cor da saudade

Pela janela
Vejo o outono 
Lágrimas geladas escorrem pelo seu rosto sisudo
Sentimentos confundem-se
Sobretudo, a saudade.

O vento sopra o inefável.
Vulnerável, meu pensamento,
Em uma entrega total,
Viaja a um lugar qualquer
Para o dia, não sei qual.

O pássaro azul
Rompe a barreira da eternidade
Sobrevoa a cidade
E revela segredos
Nunca antes desvendados:
A saudade nasce lúgubre e sem cor
Só cresce com amor
Tem várias vidas
Morre na chegada
Renasce na despedida.

E se o coração do poeta ela invade
Em inspiração se transforma
De alguma forma, colorida.

(JOANA TIEMANN)

domingo, 20 de abril de 2014

Canção para Joana


Joana ária da poesia imponente...
Poética da fantasia eminente,
Versando o mundo cotidiano ao Sul,
Repercute no céu e oceano azul.

Joana inconstante poetizada em vento e brisa...
Iohanan mulher agraciada poetisa.
Espírito galgando o onírico em latim
Sangue fluídico, poesia soberana flor de cetim.

Ariana mulher de aniversário,
Abrigo do amor ao ser e olhar literário,
Escrevente nas asas do nirvana...

Acolhe novidade em poética peregrina,
Ariana que outona nova idade menina,
Primaverando hoje mais uma poesia cotidiana.

Son Dos Poemas


(Presente da minha amiga Sonia Gonçalves)

quinta-feira, 10 de abril de 2014

Perfume flor de primavera

Ainda guardo o frasco do perfume
que eu usava quando estava com você.
Quem o vê
pensa se tratar de um objeto qualquer,
no entanto, não é.

Basta abri-lo
e o encanto se revela
O aroma do momento
leva-me a  um tempo
que nosso amor
era flor de primavera.

(JOANA TIEMANN)

terça-feira, 8 de abril de 2014

Cuide bem do seu amor

Eros planta
rosas vermelhas no nosso caminho,
mas é dever de cada um cuidá-las.

Toda dedicação
tocará o coração dos poetas e artistas
que as pintarão na tela em diversos tons.
Deixarão seu perfume exalar.

Ah! E que perfume bom!

Quantos versos os poetas declamarão?
Inspiração infinita!
A letra bonita da canção falará de jardineiros dedicados
Todos entenderão:
Tão importante quanto plantar é o cuidado com o que foi plantado.

(JOANA TIEMANN)

terça-feira, 1 de abril de 2014

Pelos deuses da poesia

Escrevia um poema
Nas ruas da cidade
E antes que eu concluísse
Ele se perdeu de mim
Desde então,
Ando numa procura sem fim.

Por favor!
Se alguém o viu,
Pelos deuses da poesia,
Devolva-me!
Ele pode estar com fome
Ou então passando dias de pavor.

Delicado como uma criança,
Não é difícil percebê-lo
Tenho certeza, nas tuas andanças, já deve ter passado por ele.
Se você prestar mais atenção em tudo que te cerca
Estou certa,
Que mesmo que ele não seja encontrado.
Ouvirei você dizendo: Muito obrigado!

(JOANA TIEMANN)

domingo, 30 de março de 2014

Luz e calor

Ela acenava para ele com o coração
Ele, dono da razão, apenas sorria

Ela tinha kid abelha nos ouvidos
Para ele só fazia sentido as letras da Legião

Ela era dúvida
Ele conclusão

Ela amava a primavera
Ele, todas as estações

Ela era luz
Ele calor

Dois seres tão diferentes
E tão iguais

Diferentes na visão
Iguais na dor

(Ambos sonhavam morrer de amor)

Mas com o passar dos anos,
morrer de amor virou tão clichê
Que resolveram viver cultivando diferenças.

(JOANA TIEMANN)

segunda-feira, 24 de março de 2014

Quem é este homem...Anjo...Menino?

Quem é este homem que entrou na minha vida
Que me faz ser preferida dos seus desejos mais insanos
Que me leva às alturas
E ainda jura que faço parte dos seus planos.

Este homem
Que tira meu juízo
Que sabe o que eu preciso
A dose exata de carinho e amor.

Este homem
Num instante menino
Que entra e sai dos meus pensamentos
Escrita do acaso no meu destino.

Este homem
Tantas vezes anjo
Que embala amores inocentes
e me encanta com seu sorriso.

Quem é este homem
Que anda pelas ruas
Abrindo as portas do meu paraíso.

(JOANA TIEMANN)

quinta-feira, 20 de março de 2014

Outono

Eu vi a manhã chegar
Trazendo ares de mudança
Bailarinas de uma nova estação
Com passos outonais na dança.

Sentimentos amarelados caem de mim
A árvore da vida nunca cansa
De nos mostrar que tudo se renova
Enquanto houver esperança.

(JOANA TIEMANN)

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

O tema do poema é Amor

Eu queria escrever um poema
com o tema: solidão
(Eis meu dilema)
Percorri os labirintos da minha alma
Só encontrei alegria e gratidão
Vasculhei as gavetas dos meus sentimentos inversos
Espalhei diversos pelo chão
Porém, a solidão também não estava lá.

Escutei as batidas do meu coração
Talvez ele pudesse me mostrar a direção.

Olhei-me no espelho
Vi olhos sorrindo
Induzindo-me a mudar o tema.

Senti o calor da inspiração tocando meus dedos
O vento veio
Soprou no meu ouvido segredos de beija-flor:
Não há dilema, o tema é amor.
O tema do poema é amor!

(JOANA TIEMANN)

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Tempo

Difícil admitir que os anos passam rápidos 
Sensato perceber que são feitos de acertos e enganos
Difícil focar-se na razão
quando a emoção está sempre te cercando
Difícil querer prender o tempo
E ver que ele vai se esgotando.

(JOANA TIEMANN)

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

A resposta é Sim

E se a felicidade for tão grande
que eu não consiga abraçar
ou tão pequena que eu não possa
enxergar

Se for uma senhora recatada
que não aprendeu a extravasar
Ou for uma doidivana
que ama a todos
sem joeirar

Se for interesseira
que só se entrega
para quem possa pagar

E se hoje eu perceber que todos meus conceitos sobre ela
não passam de defeito
na lente do meu olhar

Será que ainda assim
todas as minhas apostas serão nela?

Sim, a resposta é sim!

(JOANA TIEMANN)

domingo, 26 de janeiro de 2014

Poema a Joana


Manhã,
Raios de sol matinais do teu nascer
Pulos de contentamento
Alegria do teu viver.
És inspiração a cada dia
Poesia viva e sorrisos
Tal qual pássaro livre em cantoria
Declama no caderno seus versos
Sem qualquer monotonia.
Entardecer,
Imagem tema de quem ama o planeta
Nunca pousa sua caneta
Aproveita cada segundo para versejar
Adoraria com as suas palavras a terra alimentar.
Joana,
Rosto de criança, menina, mulher
Vive a cada segundo a beleza do teu ser
Observa a Lua enfeitiçada
Ela é a tua poesia encantada.

Nuno Garcia

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Um bem necessário

Então você quer que a felicidade venha
e nem sequer aprendeu assobiar
Quer encontrar um grande amor
e se embrenha na dor e solidão
Espera uma chuva de amigos,
no entanto não faz de abrigo o seu coração


Então você quer ver a felicidade brotando no chão
e nem sequer aprendeu a plantar

Quer alguém que te dê a mão
e mantêm as tuas fechadas
Luta para vencer,
mas tem certeza que a vida é um jogo de cartas marcadas

Então você quer sentir a felicidade imensa
e nem sequer aprendeu a sorrir
Quer ser amado
e não ama a si mesmo

Será que não entende?
A felicidade é um bem necessário
Entretanto, ela é construída dentro de nós e não o contrário.

(JOANA TIEMANN)

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

A poesia de viver


Em uma noite qualquer eu quis te mostrar a lua
No amanhecer, o sol que passeia pelas ruas
e você fingiu não entender.
Há uma cegueira cobrindo teus olhos
que não te deixa enxergar as belezas da vida.

Eu pedi para você escutar
o barulho do mar
o cochichar do vento
e você me disse que isso não fazia sentido.
Há uma surdez tapando teus ouvidos
que não te deixa ouvir a sinfonia da vida.

Eu te ofereci
pingos de chuva,
Orvalho da manhã para você degustar
e você não tomou conhecimento
Há um amargor corroendo teu paladar
que não te deixa sentir os sabores da vida

Eu quis te apresentar a harmonia
entre o céu e a terra
o bicho e o homem
a sede e a fome

Mas há uma indiferença qualquer em você
que consome tua alma
que rouba teus dias
E te afasta da poesia de viver.


Joana Tiemann 

sábado, 11 de janeiro de 2014

O amor

Ele
com sua voz entorpecente
Vem e fala pra gente
Só o que queremos ouvir

Ele
Tão lindo e cheio de razão
Com palavras incandescentes
Modela a emoção

Ele
Que tem olhar de menino
Quando quer carinho e atenção

Ele
Sabe o mistério dos pássaros
E ensina a voar

Ele
Sempre será
caminho e perdição

Malícia de gavião
Doçura de beija-flor

Ele: o amor

(JOANA TIEMANN)

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Necessidades e intenções

Voando a bordo dos meus pensamentos
Alço asas coloridas
de sonhos,
necessidades e Intenções

Na terra,

Responsáveis por meus sentimentos,
Minhas raízes dizem:
Voe
No entanto 
não tire os pés do chão.

(JOANA TIEMANN)

sábado, 4 de janeiro de 2014

Benção Matinal

Nada mais celestial
Que o poema que entra pelos nossos olhos
Como benção matinal

Aquele que traz nos
versos a mais pura poesia
A magia dos magos

Enquanto outros morrem na praia
Ele beija corações
Alimenta a alma
Devolve calma à emoção

Não há quem fique indiferente aos seus versos
As crianças também podem amá-lo

Elas o levam para seu universo
Colocam mais cor
Mais vida
E é nos braços delas que ele adormece feliz.

(JOANA TIEMANN)