Visualizações

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

A poesia do vento

Passei um longo tempo debruçada na janela
observando a poesia oculta passar por ela

Perdi as contas de quantas vezes o vento
passou as mãos pelo meus cabelos

Num intuito de felicidade
fechei meus olhos
Me deixei levar pelo invisível

O vento carrega intenções
Tantas vezes incompreensíveis
Nem tudo que ele sussurra é realidade
nem toda verdade ele revela

Assopra e morde
abre caminhos
fecha janelas

Desalinha e beija
Sufoca com seu calor
Promete dias bons
Pede paciência nos ruins

Faz juras de amor
Fala de um querer sem fim
traz um buquê de passarinhos
especialmente pra mim

Como não dizer sim?

(JOANA TIEMANN)

3 comentários:

  1. Boa tarde Joana.. o vento carrega seres invisíveis que tanta coisa deixam em nossas vidas.. seres do ar brincam com nossos cabelos.. com nosso entorno.. é pura magia.. pena não termos os olhos ocultos para vermos tamanha beleza.. bjs e um lindo dia até sempre

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. "Traz um buquê de passarinhos
    especialmente pra mim".Poema bonito e sereno, Joannahttp://apoesiaestamorrendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir